Pilates e seus benefícios: equilíbrio e a percepção do corpo

Quando falamos em aulas de Pilates, normalmente falamos também em equilíbrio. 
Segundo a Classificação Internacional de Funcionalidade e Incapacidade, o equilíbrio é uma das várias funções do corpo humano que compreende a interação de três sistemas perceptivos: o vestibular, o proprioceptivo e o visual.
A propriocepção é o termo que descreve a percepção do próprio corpo, e inclui a consciência postural, do movimento, das partes do corpo e das mudanças no equilíbrio, além de englobar as sensações de movimento e de posição articular.
O sistema proprioceptivo pode gerar impulsos nervosos conscientes ou inconscientes. Os impulsos conscientes são responsáveis pelo sentido da posição e do movimento. Esses impulsos vão ao córtex cerebral possibilitando que, ainda que sem a função da visão, se dê a percepção corporal (posição, localização e orientação espacial), da ação muscular e da força, bem como dos movi­mentos das articulações.

 

"Pilates desenvolve um corpo uniforme, corrige posturas erradas, restaura a vitalidade física, revigora a mente e eleva o espirito."

A propriocepção acontece pela presença de receptores específicos que captam informações do meio externo relacionado ao corpo e enviam ao SNC, na medula espinhal, em forma de potencial de ação, através das fibras nervosas aferentes. Assim, é possível determinar respostas adequadas ao estímulo, como por exemplo, o ajuste da posição do corpo em uma superfície, equilíbrio entre músculos agonistas e antagonistas.

Os nossos movimentos, para serem coordenados, dependem da propriocepção. Quando ela é comprometida, seja por uma doença neurológica, acidente, entre outros, as atividades simples do cotidiano (como ficar em pé ou caminhar) podem se tornar difíceis de executar. Em casos de lesões, os proprioceptores também sofrem danos. Se tais receptores não forem estimulados, pode haver uma reincidência de lesão, além de prejudicar o desempenho físico.

Por isso utilizamos tanto a propriocepção nas nossas aulas de Pilates. Nas aulas, podemos incluir inúmeros exercícios que envolvem, por exemplo, superfícies instáveis, como bolas, discos de propriocepção, pranchas de equilíbrio, bolas pequenas, entre outras, a fim de proporcionar ao cérebro oportunidades para avaliar a orientação no espaço, desenvolvendo e treinando a consciência corporal. Em alunos idosos, devemos utilizar esses exercícios, mas devemos ter muito cuidado e atenção para evitar quedas.
Inclua esses exercícios nas suas aulas, seus alunos/pacientes agradecerão.

Paulo Márcio Fucci
Fonte: http://blogpilates.com.br/